quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Desabafo.


Venho, neste post, fazer um desabafo: me sinto impotente.

Desde muito jovem, sempre dizia que ia embora do Brasil, que meu sonho era estudar fora, ser um grande profissional capacitado... um grande homem, na verdade.
Este pensamento não mudou. Muito pelo contrário. Hoje, ele me causa angustia, ansiedade e aflição.

Os anos passam, a vida está passando e eu não consigo nem começar a fazer isso.
Planejamento, você me aconselharia? Não.

Na verdade, como disse no post anterior, o que devo fazer é esperar a vida. Me sinto capacitado e aberto para isto. Tenho o sonho de conhecer o mundo, outras culturas, outras línguas e outros costumes, mas parece que o universo não está conspirando. Talvez, eu não esteja pronto. Na verdade, não sei o que é.

Só sei que queria estar fazendo uma faculdade, ou terminando a minha de jornalismo. Gostaria de estar pensando no meu mestrado e doutorado, pensando e tendo a esperança de um amanhã bom.

Nunca sonhei em ser milionário. Se fosse, por trabalho, ia ser grato. Mas sonho em ter uma vida tranquila. Um lugar legal para morar, necessidades básicas cumpridas e poder me dar ao luxo de tirar férias do trabalho e não ter que ficar em casa. E, sim, poder viajar e curtir. Me programar para aproveitar bons momentos.

Por favor, não me levem a sério e, muito menos, procurem me entender. Sei que alguns estarão pensando em me dizer algo, que existe um jeito, que é so correr atras, não sei... Mas não há nada que alguém possa falar para mudar isso.

Como é ruim você querer tocar o ceu, ter a energia e o pique, mas não ter as asas...

Eu vou esperar o que o amanhã pode me guardar e estar aberto e receptivo para a oportunidade. Não é comodidade isso. Me entendam, o destino que fez assim. Não o culpo, nem o xingo. Só me sinto preso por não estar numa grande cidade, com grandes oportunidades de crescimento. Na verdade, preciso crer mais no amanhã, ter mais esperanças... Na verdade, nem sei mais o que estou escrevendo aqui.


Na verdade, chega! Até o próximo post.

2 comentários:

  1. Moço

    vou transcrever uma crônica de Clarice que li ontem, e que ao ler seu texto, me recordei dela. O título da crônica é O ALISTAMENTO (publicada em 20/01/1973):

    Os passos estão se tornando mais nítidos. Um pouco mais próximos. Agora soam quase perto. Ainda mais. Agora mais perto do que poderiam estar de mim. No entanto continuam a se aproximar. Agora não estão mais perto, estão em mim. Vão me ultrapassar e prosseguir? Seria a minha esperança, a minha salvação. Não sei mais com que sentido percebo distância. É que os passos não estão próximos e pesados, já não estão apenas em mim: eu marcho com eles, eu me engajei.

    ...

    Bruno,
    acredito que os 'passos' estão em você - e creio e oro para que você possa marchar com eles: ir ao encontro dos seus objetivos, que são belos. Você já reconheceu e percebeu os passos, eles agora estão dentro de você, logo chegará a hora de caminhar: acredite. Eu acredito contigo.

    Com paz: Thiago.

    ResponderExcluir
  2. Diante das palavras do Thiago, não tenho o q falar apenas concordar pois sinto o mesmo q seu texto diz. E a propósito, Clarice arrasa!!!

    ResponderExcluir